Voo de Parapente: diversão nos ares

Em outra publicação comentou-se sobre a aerodinâmica inovadora da asa-delta, uma asa rigída e planadora, no entanto, existe uma outra modalidade planadora no voo livre, o voo de parapente. Similarmente, para entender melhor esta modalidade, é preciso diferenciá-la do paraquedas, no qual tem como objetivo evitar uma queda e usado exclusivamente para este fim. Entretanto, o parapente, oriundo do paraquedas, vai além disso. Ele foi projetado para aumentar o “coeficiente de planeio”, ou seja, voar – aumentar o tempo do voo. Por isso, o parapente é muito explorado para fins recreativos, pois sabe-se que as correntes de ar quente (termal-quente) ou o ar desviado para cima por topografia montanhosa podem ajudar o praticante a subir e, com isso, utilizar a altitude em troca de distância e velocidade.

Esta modalidade é muito popular no contexto dos esportes radicais, há diversos eventos espalhados pelo mundo. Os atletas mais dedicados percorrem o mundo todo em busca dos locais mais famosos e, consequentemente, estimulam a comunidade mundial do voo livre.

A princípio, a competição mundial ocorre a cada dois anos, a próxima será realizada na Macedônia, em 2019. Assim como o Brasil teve a edição mundial na cidade de Governador Valadares, Minas Gerais, em 2005, local de encontro de muitos atletas e admiradores do esporte. Do mesmo modo, muitas cidades brasileiras tem seus céus coloridos pelos velames do parapente durante as etapas do campeonato brasileiro. Caso tenha interesse confira as cidades diretamente no site da Confedereção Brasileira de Voo Livre.

No Rio de Janeiro, cidade maravilhosa, em dias de condições do vento perfeitas é possível circundar o Cristo Redentor (imagem abaixo). A distância é grande, é um longo voo da Rampa de Voo Livre até o Cristo Redentor, no entanto, alguns sortudos tem este privilégio.

Link da imagem: https://www.instagram.com/p/BbZqYziBRcw/

Importante salientar que a decolagem ocorre única e exclusivamente na “Rampa de Voo Livre” anexada à montanha Pedra Bonita. Fala-se muito sobre uma possível decolagem na Pedra da Gávea ou em outros pontos, porém não há infraestrutura no alto destes locais, como já foi publicado sobre dúvidas como estas, que pode ser conferido aqui.

Nossa sugestão é conhecer e desfrutar dos voos em nossa Rampa de Voo Livre, observar nossos instrutores de voo duplo, ganhar confiança e contemplar o cenário único que existe lá do alto. Garantimos que isso será o suficiente para encorajá-lo(a) a voar, caso ainda esteja com alguma dúvida, por favor, fique à vontade para nos contactar. Lembre-se, você também pode voar! 

Por fim, nos acompanhe também no Instagram: @centrodevoolivre, lá você poderá ficar por dentro de promoções e possíveis sorteios de voos. Não esqueça de usar em suas fotos a hashtag #CentroDeVooLivre .

Deixe um comentário